Teste T e bases mescladas

Em diversos momentos, desejamos estimar o efeito de uma variável em outra. A forma experimental de se fazer isso é por alocação ativa de variável independente. Ou seja, o pesquisador insere uma variável (VI) no desenho de pesquisa e, em seguida, mede o efeito dela na variável dependente (VD). Porém, pesquisas observacionais também podem se dirigir à direção similar e foi isso que fizemos ao analisar o efeito do Tempo na Memória da dor em corredores. Você pode conferir o artigo aqui . Ele chama-se Porcelanas Inquebráveis e uma das análises realizadas agora está disponível num dos nossos vídeos-tutorais do Canal Psicometristas Brasil.

No artigo, você irá conferir que uma das análises foi realizada com o Teste T pareado. Este teste estatístico é tradicionalmente utilizado para esta finalidade. A equação abaixo guarda as seguintes características:

A diferença entre o T1 e o T2;
A média (XD) e o desvio-padrão dessa diferença (sD)
Uma constante, que pode ser zero ou não (μ0)

Lembre-se dos pressupostos básicos do Teste T:
Distribuição normal
Variável Dependente contínua

Como usamos o recurso de Survey do Google, o vídeo ensina como mesclar arquivos para o SPSS.

Espero que esta pesquisa possa sedimentar ainda mais o conhecimento em psicologia e ciência!

Um forte abraço,
Luis Anunciação
Psicometria (PUC-Rio)

Facebook Comments